domingo, 18 de setembro de 2011

Em abertura de sessão histórica na ONU, Dilma dará apoio a palestinos



Na quarta-feira, quando se tornar a primeira mulher a subir à tribuna para abrir a Assembleia-Geral das Nações Unidas, presidente deve ignorar o desconforto de americanos e israelenses e afirmar a necessidade do reconhecimento do Estado palestino

18 de setembro de 2011

Lisandra Paraguassu - O Estado de S.Paulo


Escalada. Junto ao muro que separa Cisjordânia e Israel, 
palestinos aumentam pressão por reconhecimento de Estado

O reconhecimento do Estado palestino entra em debate na 66.ª Assembleia-Geral da ONU por meio da presidente Dilma Rousseff. No discurso, que abre o encontro, na quarta-feira, Dilma dirá que passou da hora de o mundo reconhecer a existência da Palestina. Ignorando o desconforto que o apoio explícito pode criar entre americanos e israelenses, a presidente pretende reforçar a posição de líder internacional que o Brasil busca.

O discurso ainda não está pronto. Além dos tópicos que Dilma escolheu e das linhas gerais traçadas pelo Itamaraty, pouco foi desenvolvido. A versão final deve ser feita mesmo em Nova York, nos dias que antecedem à abertura da Assembleia-Geral.

A situação palestina não será um tema central, mas se encaixa em um dos tópicos preferenciais do Brasil: a mudança da geopolítica mundial, a necessidade de reforma da governança global e a abertura de espaço para novos atores internacionais.

A presidente deve chegar a Nova York na madrugada de hoje e voltará ao Brasil, provavelmente, na quinta-feira ou na sexta-feira. Além da agenda na ONU, Dilma pode manter até sete encontros bilaterais com chefes de Estado - quatro deles já confirmados.

Dilma deve abrir seu discurso falando da importância de uma maior participação política das mulheres. Aproveitando o fato de ser a primeira presidente brasileira mulher - e, por isso, a primeira mulher a abrir uma Assembleia-Geral da ONU, já que o Brasil sempre faz o primeiro discurso - Dilma destacará a necessidade de se dar mais espaço político às mulheres.

Crise. O centro do discurso da presidente, no entanto, deve ser a crise econômica mundial, os problemas enfrentados pelos Estados Unidos e a Europa e o risco de contágio em economias emergentes.

Dilma ressaltará também a situação brasileira, ainda saudável, mas destacará a necessidade de que países considerados ricos resolvam seus problemas para que os mais pobres não sofram ainda mais as consequências de uma recessão.

A chamada primavera árabe, que foram os movimentos democráticos do Oriente Médio, a integração regional latino-americana e a realização da conferência Rio +20, marcada para o ano que vem no Brasil também deverão entrar no discurso.

Além da abertura da Assembleia-Geral, a presidente terá uma agenda cheia. Nos cinco dias em que fica nos EUA, Dilma participará de debates sobre o controle de doenças crônicas não transmissíveis, sobre a participação política das mulheres, sobre segurança nuclear e sobre diplomacia preventiva.

Dilma ainda terá encontros bilaterais com os presidentes dos EUA, Barack Obama, do México, Felipe Calderón, da França, Nicolas Sarkozy, e com o primeiro-ministro britânico, David Cameron. Também há pedidos de reuniões com os presidentes da Colômbia, Juan Manuel Santos, do Chile, Sebastián Piñera, e da Nigéria, Goodluck Jonathan, que ainda não foram marcados por dificuldades de agenda.


TIPOS DE ADMISSÃO

Membro pleno da ONU

Proposta é apresentada ao Conselho de Segurança. Se aprovada, vai para a Assembleia-Geral, onde precisa de dois terços dos 193 votos. EUA disseram que vetarão Estado Palestino no CS

Estado não membro

Pedido é votado diretamente na Assembleia-Geral. A admissão não traria mudanças aos palestinos, mas isolaria EUA e Israel

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

MARADONA: "VIVA PALESTINA" "VIVA O POVO PALESTINO"


video




Diego Armando Maradona: ´Viva Palestina. Viva el pueblo palestino

Nadie puede negar que Diego Armando Maradona es un personaje que mueve multitudes en todas partes del mundo. Prueba de ello es el gran cariño que se ha ganado por la afición del Al Wasl FcC y del pueblo de los Emiratos Árabes Unidos.

Al término de los entrenamientos del club árabe, el ex jugador fue abordado por unos niños que deseaban tomarse un fotografía con él y por un hincha palestino que le regaló una túnica.

‘For me (Para mí). Thank you (Gracias). Viva Palestina. Sí señor, viva el pueblo Palestino’, fue la respuesta del ‘Pelusa’ ante la sorpresa de los medios de prensa que cubrían el hecho.

http://www.rpp.com.pe/2011-08-24-diego-armando-maradona--viva-palestina-viva-el-pueblo-palestino-noticia_397372.html

Maradona manifesta apoio ao povo palestino



Depois de um treinamento com o Al Wasl, Diego recebeu um presente e deu mostras de apoio ao povo palestino.

Diego Armando Maradona nunca escapou às definições políticas. O que muitos consideram melhor futebolista da história, significado pelo seu apoio aos processos revolucionários cubano e venezuelano, manifestou o seu apoio explícito ao povo palestino depois de um treinamento com o clube que dirige em Dubai.

"Viva Palestina!", proclamou Maradona no momento de receber como presente uma kufiyya, peça de roupa típica da Palestina. "Sim, senhor, com o povo palestino", acrescentou Diego enquanto fazia o 'V' da vitória.

http://www.diarioliberdade.org/index.php?option=com_content&view=article&id=18883:video-maradona-manifesta-apoio-ao-povo-palestino&catid=93:direitos-nacionais-e-imperialismo&Itemid=106

Viva Palestina: Diego Maradona supports Palestine

Perhaps the reason Al Wasl have paid Diego Maradona so much money (reportedly over 3 million pounds a year) to coach in Dubai is so they can use the Argentina legend for political statements as well as his tactical knowledge.

Al Wasl have posted a new video on their official YouTube channel showing Maradona getting involved in the confusing world of Middle East politics.

Walking off the training ground, Maradona is approached by a middle aged man who asks him to put on a Keffiyeh, the Palestinian head scarf made famous by Yasser Arafat.

Maradona, speaking in English, accepts the scarf and hugs the man to thank him before flashing a victory sign and telling the camera “Viva Palestina.”

The World Cup winning captain is a friend of both Hugo Chavez and Fidel Castro whilst he has also previously expressed his admiration for Iran president Mahmoud Ahmedinijad.

http://www.101greatgoals.com/viva-palestina-diego-maradona-supports-palestine/103603/

Diego Maradona : "Viva Palestine !"

Diego Maradona, considerado como uno de los más grandes jugadores de la historia del football, vencedor de la Copa del mundo en 1986, actual entrenador del equipo Al-Wasl en Dubaï, ha expresado su alegría al recibir un keffieh palestino que se puso orgullosamente retomando la consigna : "¡Viva Palestina!"

http://www.tercerainformacion.es/spip.php?article28583


Maradona nos Emirados Árabes: “Viva a Palestina”


Mesmo sem ter ainda estreado no comando do Al Wasl, Diego Maradona segue atraindo todos os holofotes nos Emirados Árabes. Desta vez, foi em uma saída de treino. Recepcionou os torcedores, tirou fotos, conversou, apertou mãos. Até que um dos torcedores entregou um presente para Dieguito: um manto palestino. Maradona se mostrou bem agradecido, deu um abraço no cara e falou para as câmeras que o acompanhavam: “Viva a Palestina!”

E já saiu do estádio vestindo o presente…

http://wp.clicrbs.com.br/clubedabolinha/2011/08/23/maradona-nos-emirados-arabes-viva-a-palestina/?topo=2,1,1,,,2


"Viva Palestina": Maradona

El técnico argentino se fotografió con aficionados que asistieron a un entrenamiento del Al Wasl y, al finalizar, le entregaron un distintivo de la región ante el que proclamó: "Viva Palestina".



Diego Armando Maradona manifestó ayer su apoyo al pueblo palestino una vez que recibió una prenda distintiva de la región por parte de un grupo de personas que presenciaron un entrenamiento del Al Wasl, el equipo de los Emiratos Árabes dirigido por el DT argentino.

Luego de sacarse fotos con chicos, una persona le acercó una especia de pashmina con los colores de Palestina y, tras indicarle de donde provenía, Maradona exclamó: "¡Viva Palestina!" y, a continuación, expresó: "Todo mi apoyo al pueblo palestino".

http://futbolrebelde.blogspot.com/2011/08/maradona-envia-mensaje-de-apoyo-al.html



Seguidores: