terça-feira, 15 de novembro de 2016

Dia Nacional da Declaração do Estado da Palestina - 15 de Novembro


palestinos e as bandeiras do Estado da Palestina

O Secretário Geral da OLP, Dr. Saeb Erekat, marcou o Dia Nacional do Estado da Palestina


Comunicado de Imprensa - 15/11/16


Nós marcamos 28 anos desde que o Conselho Nacional Palestino, representando palestinos em todo o mundo, declarou o Estado da Palestina na fronteira de 1967, endossando todos os princípios do direito internacional e das resoluções da ONU. Este momento histórico também marcou a dolorosa concessão de reconhecer Israel sobre 78% da Palestina histórica.

Israel encontrou nosso compromisso histórico com mais opressão e desapropriação. O número de colonos hoje ultrapassa 650.000, contra 180.000 há 28 anos. O nosso povo heróico, tanto no exílio como na pátria, manteve-se firme no caminho da liberdade e da independência.

A comunidade internacional falhou na sua responsabilidade de corrigir esta injustiça histórica e permanente, e tentou equalizar as responsabilidades do ocupante e do ocupado. Essas falhas só alimentaram a cultura israelense de impunidade e ódio, incluindo suas agressões diárias contra o nosso povo.

A nossa visão de paz baseia-se na Iniciativa de Paz Árabe: Dois Estados soberanos na fronteira de 1967, com Jerusalém Oriental como capital da Palestina e uma solução justa para a questão dos refugiados baseada na Resolução 194 da UNGA, em troca da normalização completa das relações entre o resto da nossa região e o Estado de Israel.

Em contraste, Israel tem apenas planos de oferta para expansão de assentamentos, tensões regionais e mais discriminação, racismo e ódio. A ocupação de nosso país trouxe um enorme custo para nossa nação, incluindo o roubo em curso de nossos recursos naturais e violações sistemáticas de nossos direitos humanos e nacionais. Mais uma vez, apelamos à comunidade internacional para que ponha termo a todas as relações com Israel, incluindo a proibição de todos os produtos de colonização, a alienação de empresas que lucram direta ou indiretamente com a ocupação israelense e sanção frente a negação do nosso direito inalienável à autodeterminação.

Jerusalém Oriental foi ocupada e ilegalmente anexada há quase 50 anos. Não haverá um Estado independente da Palestina sem Jerusalém Oriental sendo sua capital. Apesar das tentativas israelenses de mudar sua identidade histórica, incluindo sua contínua separação do resto da Palestina, as ameaças ao status quo no Conjunto da Mesquita Al-Aqsa, as restrições para acessar o Santo Sepulcro e, mais recentemente, uma lei para impedir que as mesquitas anunciem suas chamadas para as orações, o Adhan, a Palestina continuará a defender os direitos do nosso povo e do património em Jerusalém, uma cidade sagrada para as três religiões monoteístas, como foi decidido pela UNESCO.

Ao longo dos últimos 28 anos, o Estado da Palestina foi reconhecido por 138 Estados e obteve adesão plena em várias organizações internacionais, incluindo o Tribunal Penal Internacional. Também fomos reconhecidos como um estado nas Nações Unidas. Este processo bem sucedido de internacionalização é tanto um direito soberano como uma mensagem de esperança para o nosso povo. Exortamos, pois, os Estados que não reconheceram a Palestina a fazê-lo, a fim de reafirmar os nossos direitos nacionais e de evitar o colapso total da solução dos dois Estados.

Há alguns dias, 11 de novembro, marcou 12 anos desde que nosso líder, Yasser Arafat, deixou este mundo. Sobre a nossa declaração de independência lida em 15 de novembro de 1988, o Presidente Arafat disse: "Exortamos nosso grande povo a se unir à bandeira da Palestina, a defendê-la e amá-la para que ela seja sempre o símbolo da nossa liberdade e dignidade nessa Pátria, que é uma pátria para o livre, agora e sempre."


Continuamos o nosso caminho rumo à independência do nosso Estado, elevando nossa orgulhosa bandeira. Isso inclui o nosso trabalho em organizações internacionais, já que estamos trabalhando para apresentar uma resolução diante do Conselho de Segurança da ONU nas próximas semanas. Exortamos todos os membros, particularmente os Estados Unidos, a permitir que o Conselho de Segurança exerça sua responsabilidade pela paz e segurança na Palestina.


Tradução: Blog Sanaúd-Voltaremos
.......................................................................................................................



video
Yasser Arafat declara o Estado da Palestina independente na reunião do Consleho Nacional Palestino - 15/11/1988




Arafat declara o Estado da Palestina independente


............................................................................................................


Para conhecer todas as publicações do Blog Sanaúd-Voltaremos, desde 2008,  acesse o Arquivo na barra lateral.





Leia as últimas publicações do Blog Sanaúd-Voltaremos:


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores: